NFC: conheça essa tecnologia de pagamento que vem ganhando força

Você usa o NFC em sua loja? Entenda melhor como funciona essa tecnologia e quais as vantagens tanto para os consumidores quanto para as empresas!

TecnologiaJunho 24, 2020

Está interessado no conteúdo, mas sem tempo para ler agora? É só apertar o play no lado direito da página para ouvir o artigo.

O avanço da tecnologia móvel permite que novas ferramentas de pagamento surjam para trazer mais comodidade, segurança e praticidade a consumidores e lojistas. Uma dessas inovações foi o NFC (Near Field Communication), que permite a troca de dados entre dois dispositivos eletrônicos.

Quer entender melhor como funciona essa tecnologia e de que maneira ela pode trazer ganhos à experiência de compra? Saiba também as vantagens e desvantagens do sistema.

O que é NFC?

A tecnologia NFC (Near Field Communication), também conhecida como contactless (ou sem contato), permite a autorização de transações apenas pela aproximação entre dois dispositivos, que pode ser entre dois celulares, entre um celular e uma maquininha de cartão ou até mesmo com o uso de tags.

Dessa forma, o envio de dados ocorre “sem contato”, bastando apenas alguns centímetros de distância. Não é preciso inserir cartões, mas talvez seja necessário digitar a senha no smartphone. Todo o processo ocorre com a maior segurança.

Como essa tecnologia funciona na prática?

Em primeiro lugar, os dispositivos precisam ser compatíveis com a tecnologia. A conexão é feita via radiofrequência, exigindo uma distância entre 2 e 10 cm. O NFC gera um link nessa frequência de curta distância, daí é preciso fazer a aproximação entre os dispositivos, sem necessitar fazer nenhuma configuração entre eles.

No caso de um pagamento, basta colocar o smartphone próximo à máquina de cartões. Ao fazer a aproximação, o valor e o nome do produto serão exibidos na tela do smartphone para o usuário aprovar.

Para que o consumidor possa usar a tecnologia NFC para fazer pagamentos com seu smartphone, ele precisará adotar alguma das plataformas disponíveis:

Além disso, cada uma dessas plataformas têm a lista de instituições bancárias aceitas para o cadastramento. Ou seja, o cliente vai baixar o aplicativo de uma dessas plataformas e cadastrar o seu cartão.

Alguns bancos também têm aplicativos próprios para o uso de pagamentos por aproximação, e a forma de liberação do serviço pode variar. Em alguns casos, é necessário ir até a agência bancária. Em outros casos, é possível obter a autorização pelo próprio app ou pelo telefone.

Outra possibilidade é o cliente usar algum dispositivo que tenha um chip NFC da instituição credora. Por exemplo, já existem muitos cartões de crédito que já contam com a função contactless.

Por fim, o lojista precisa ter uma maquininha que conte com a tecnologia NFC, e isso já está amplamente disponível.

Quais os tipos de NFC?

Existem cerca de cinco tipos de transmissão NFC:

  • ativa:  é a opção mais utilizada em lojas, com a função de enviar e receber dados;
  • passiva: a sua única função é emitir o sinal que será “lido” pelo outro dispositivo;
  • leitura e gravação: é capaz de ler, alterar e gravar novos dados em um dispositivo NFC. Ele pode, por exemplo, descontar créditos de um cartão;
  • peer-to-peer: a troca de dados é bidirecional entre dois dispositivos. Isso é possível, por exemplo, entre dois smartphones;
  • emulação de cartão: o dispositivo NFC imita um cartão inteligente. Assim, o leitor não distingue o que é exatamente.

O que são as tags NFC?

As funcionalidades do NFC são altamente potencializadas por meio das tags NFC, que recebem diversos outros nomes, como stickers, smart tags, adesivos NFC ou etiquetas NFC. Elas se apresentam em forma de chaveiro ou mesmo como um pequeno adesivo contendo um chip, que pode ser anexado e configurado para diversas funções.

Essas tags funcionam de modo passivo, sendo compostas de um chip de rádio, uma antena simples e um pouco de memória. Por serem passivas, não necessitam de recarga. Algumas das possibilidades de configuração são:

  • anexar ao painel do carro: configure para ao aproximar da tag, o smartphone se conecte ao som do veículo, toque música, abra o app de mapas, aumente o brilho etc.;
  • colocar na cabeceira da cama: configure para, ao encostar o aparelho, o celular entre no modo “Não perturbe”, desligue a internet, reduza a luminosidade, entre outros.

Quais as vantagens e desvantagens?

O uso do NFC apresenta muitas vantagens e a sua facilidade é realmente empolgante. Alguns dos principais benefícios são:

  • um método de pagamentos mais prático que outros disponíveis do mercado, até mais rápido que a captura do QR Code, por exemplo;
  • bastante acessível, disponível na maior parte dos smartphones e em muitos cartões que já circulam no mercado;
  • a aprovação do pagamento dura apenas alguns segundos, reduzindo filas em lojas.

Apesar de tantas vantagens, a tecnologia pode enfrentar algumas barreiras para sua implementação e expansão:

  • consumidor desconfiado: por questões culturais, muitos usuários sentem-se mais seguros inserindo o cartão e digitando a senha, apesar de o NFC também contar com mecanismos de validação, como o uso de apps específicos para aprovação da compra;
  • falta de treinamento dos vendedores: mesmo com a tecnologia NFC disponível na maior parte das maquininhas, muitos funcionários no ponto de venda não sabem para que serve, e alguns até desconfiam se o cliente fala que vai pagar pelo celular ou com um cartão contactless.

O sistema é realmente seguro?

Para desmistificar um dos principais argumentos que travam o crescimento do NFC em meios de pagamentos, é importante ressaltar que a transmissão de dados em um pagamento por aproximação é unidirecional. Isso quer dizer que o leitor não tem acesso a dados confidenciais do usuário.

Além disso, a distância entre os dois dispositivos precisa ser pequena, o que evita a interceptação do sinal. Também é possível configurar apps associados que exigem o uso de uma senha ou impressão digital para a autorização da compra.

Mesmo que o aparelho celular seja perdido, é possível utilizar recursos de segurança remota que bloqueiam ou apagam o acesso aos dados do usuário.

Como oferecer esse tipo de pagamento no seu negócio?

O primeiro passo é adotar maquininhas que sejam compatíveis com o serviço. Na verdade, muitos empreendimentos já contam com essa tecnologia em seus terminais, apenas não usam. A tendência é que o fornecimento cresça ainda mais nos próximos anos.

Assim, o segundo passo importante é treinar os vendedores para que saibam interagir com o mecanismo. Apesar de ser um tipo de pagamento realmente rápido e fácil, o desconhecimento ainda gera bastante desconfiança.

Por fim, a disponibilidade dos pagamentos por aproximação precisa ficar bem clara para os clientes. Dessa forma, eles vão optar pela modalidade que lhes for mais conveniente.

Nesta era da digitalização, todos os empreendimentos precisarão passar por transformações. Essas evoluções, como o NFC, garantem uma experiência de compra mais agradável e segura para o cliente. Para o empresário, isso representa maior competitividade e força em seu mercado de atuação.

Acompanhe nosso conteúdo aqui do blog e fique por dentro dos principais tópicos sobre o mercado de pagamentos!

Está gostando desse artigo?

Últimas do Blog

VEJA TODAS
Ver postagem

Meios de captura: conheça as opções presentes nas lojas físicas e online

Ver postagem

Glossário Adiq

Ver postagem

O que é link de pagamento?