O que é um subadquirente?

Entenda melhor como funciona o serviço de subadquirente e de que maneira ele garante maior facilidade nos meios de pagamento.

Pilares de atuação AdiqMaio 11, 2020

Encontrar uma solução de pagamentos que seja ideal para o seu negócio e que atenda às necessidades do seu público nem sempre é uma tarefa fácil. Muitos empreendedores precisam enfrentar burocracias, dificuldades de integração e muitos outros desafios. Mas, você sabia que um subadquirente pode resolver esses problemas?

Neste artigo, você vai entender melhor como funciona esse serviço e de que maneira ele garante maior facilidade nos meios de pagamento e integração com diferentes plataformas. Continue a leitura e saiba mais!

Afinal, o que é um subadquirente?

Antes de entender melhor o que são subadquirentes, é importante esclarecer o que são adquirentes. Estas, são empresas que processam o pagamento em lojas físicas ou virtuais, estabelecendo uma comunicação entre esses estabelecimentos comerciais, as bandeiras e os bancos que emitem os cartões. As marcas que são ponta de lança nesse mercado são Rede e Cielo, por exemplo.

As adquirentes trazem algumas vantagens: facilitam a cobrança para o lojista e garantem uma taxa menor por transação. Mas há alguns problemas: se a adquirente fica fora dor ar, suas vendas podem paralisar. Além disso, serviços complementares, como gateways que permitem a transação online, podem trazer custos adicionais e a contratação pode ser bem burocrática, sem falar no conhecimento necessário de um especialista para fazer a integração direta em seu site.

Para lidar com esses problemas, surgiram os subadquirentes. Eles são intermediadores de pagamentos que se comunicam com os adquirentes, não necessitando que o lojista tenha uma relação direta com um adquirente específico. Isso torna o serviço mais prático para o empresário, e até mais seguro.

Como funciona na prática?

Para entender melhor como funciona, é necessário compreender como é a dinâmica dos meios de pagamento e os agentes envolvidos:

  • Bandeiras de cartões: são as responsáveis pela comunicação entre o adquirente e o banco emissor. Elas definem as regras do negócio e as especificações técnicas e garantem que o adquirente e o banco sigam as regras. As principais que atuam no Brasil são Mastercard, Visa, Elo, Hipercard e American Express, por exemplo;
  • Banco emissor: é a instituição financeira que emite o cartão de débito e crédito e tem relação direta com o consumidor. É ele que informa se o cliente tem crédito ou saldo para a transação. Por exemplo: Bradesco, Santander, Banco do Brasil, Itaú, entre outros;
  • Gateway: são serviços que conectam o e-commerce aos meios de pagamento, funcionando como um hub que interliga muitas funcionalidades. Alguns gateways chegam a conectar cerca de 24 meios de pagamento. Na prática, ele fornece um botão de compra no seu produto do e-commerce, redirecionando o usuário onde há diversas opções de pagamento para serem selecionadas, como bandeiras de cartão de crédito, débito e boleto bancário;
  • Adquirentes: são empresas que capturam, armazenam, transmitem e efetivam as compras, fazendo com que a compra na loja (virtual ou física) chegue até a bandeira, criando uma comunicação direta;
  • Subadquirentes: servem como intermediárias entre o lojista e adquirente. Assim, facilitam a comunicação, com menor burocracia, fácil integração e ofertas nichadas ao seu público.

Agora que você viu todas as partes envolvidas, saiba que as partes principais são a bandeira, o banco emissor e as adquirentes. Os outros serviços funcionam como adicionais que agregam funcionalidades e potenciais competitivos importantes para a segurança e praticidade das transações.

Qual a diferença entre adquirente e subadquirente?

Então, afinal, o que difere um adquirente de um subadquirente? A diferença é que o subadquirente fica como intermediador entre as adquirentes, os clientes e os lojistas. Essa solução de pagamento é muito utilizada pelas empresas de menor porte, haja vista sua facilidade, rapidez de integração e menor custo de implantação.

Já os adquirentes farão a comunicação entre os subadquirentes, os bancos emissores e as bandeiras. Logo, os adquirentes e subadquirentes trabalham em conjunto na expansão de ofertas ao mercado.

Quais vantagens um subadquirente traz para um negócio?

Há muitas vantagens em contratar um subadquirente, em vez de se plugar diretamente a um adquirente, especialmente para negócios incipientes ou de menor porte. Por exemplo:

  • São práticos, pois em poucas horas é possível já ter um meio de pagamento ativo, com integração bem rápida;
  • O tempo e o custo de integração acabam sendo menores, uma vez que sozinho o serviço já proporciona soluções que um adquirente por si só não fornece;
  • Apresenta menos burocracia. Afinal, o subadquirente já fez o credenciamento nas operadoras;
  • A gestão de vendas fica mais fácil, pois, diferentemente dos gateways de pagamento que fazem o depósito da transação diretamente na conta corrente do lojista, o subadquirente retém os valores e transportam os dados da transação ao adquirente, posteriormente repassando ao comerciante os valores líquidos descontados da taxa de administração;
  • O adquirente já possui parcerias com os maiores agentes atuantes no mercado, de modo que o lojista já pode rapidamente contar com uma ampla variedade de opções de pagamento para seus clientes, o que potencializa as chances de fechar uma venda;
  • Fornecem serviços antifraudes muito eficientes e ajudam a gerenciar todas as etapas do pagamento. Isso dá muito mais tranquilidade ao lojista.

Como contratar esse tipo de serviço?

Existem muitas opções no mercado, por isso é necessário avaliar a proposta que cada uma delas apresenta e avaliar as suas necessidades e o seu modelo de negócio. Alguns pontos importantes para ponderar são:

  • Avaliar as condições de pagamento, prazos para aprovação de pagamentos, condições de repasse, taxas, encargos e soluções antifraudes integradas;
  • Em caso de e-commerces, deve-se averiguar a possibilidade de fechar a compra dentro da própria página da sua empresa, já que o redirecionamento para a página do subadquirente pode causar muitas desistências;
  • Mensurar o volume de transações e taxas que vão incidir sobre elas;
  • Pensar na experiência do usuário;
  • Informar-se sobre as condições de integração.

A partir dessas questões, você conseguirá chegar à melhor solução para o seu negócio. O serviço de subadquirente foi criado para facilitar a vida dos empresários.

E você está em busca de criar suas próprias soluções de pagamento para o seu negócio? Então, você precisa conhecer o serviço da Adiq! Entre em nosso site e saiba mais!

Está gostando desse artigo?

Ver postagem

O que é adquirência como serviço e quais as suas vantagens?

Ver postagem

O que é um subadquirente?

Ver postagem

O que é Chargeback?